quarta-feira, abril 10, 2013

Cassação- IVAIPORÃ: "Prefeito Gil fala sobre cassação"

"PENSEI  NA RENÚNCIA"
O prefeito  de Ivaiporã e Presidente da Amuvi foi cassado por decisão da Comarca de Ivaiporã, em entrevista a emissoras de rádio disse estar tranquilo, mas a decepção o faz pensar em renúncia  
OUÇA AQUI - Matéria completa com Carlos Gil e a fala da Juíza, Dr. Juliana Trigo Araújo
Na manhã de quarta-feira, 10 de abril, o Prefeito Carlos Gil, concedeu uma entrevista que foi ao ar pelas Rádios Nova Era/ Vale do Ivaí, e Rádio Ubá de Ivaiporã. Ele comentou sobre a decisão da Justiça que cassou o seu mandato.  O Prefeito afirmou ter certeza que vai reverte a decisão, mas não escondeu  o seu desejo de renunciar o mandato e cuidar  de sua vida particular.  "Eu pensei em renunciar ao perceber que essa gente não quer ver o progresso que já estamos promovendo,  vou falar com o meu grupo e tomar uma decisão, mas essa é uma possibilidade. Vejam que em apenas cem dias de Governo, somente na esfera estadual conseguimos 15 milhões, mais do que os 4 anos do Cyro, e isso incomoda" Desabafou o prefeito.    VEJA MATÉRIA SOBRE A CONDENAÇÃO:   Uma decisão da Comarca de Ivaiporã, cassou nesta terça-feira, 9 de abril de 2013, o mandato do Prefeito Luiz Carlos Gil, do PMDB, que também é presidente da AMUVI- Associação dos Municípios do Vale do Ivaí. A ação foi movida pelo ex-prefeito Cyro Fernandes Corrêa Júnior (PT), que também teve os direitos políticos suspensos por 8 anos e terá que pagar R$10 mil de multa, após condenação em Primeira Instância por Abuso de Poder Político nas eleições municipais de outubro de 2012, Cyro e Gil podem recorrer. No caso do atual prefeito Carlos Gil, trata-se de uma AIJE (Ação de Investigação Judicial Eleitoral). A Juíza Juliana Trigo de Araújo se pronunciou determinando a procedência da ação por abuso de poder econômico, por parte da Coligação encabeçada pelos candidatos Carlos Gil e Adail Rother Junior (PMDB). Como a decisão é em primeira instância, cabe recurso para o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Curitiba, vale ressaltar que a Juíza determina que ação esteja transitada e julgada, ou seja, o prefeito continua no cargo enquanto questiona a decisão. Outra decisão da Justiça é que outra eleição deverá ser marcada, caso Cyro e Gil continuem cassados. MOTIVO DA DECISÃO: Segundo informações, três questões levaram a Justiça a cassar o prefeito Gil, ou seja: Uso do recinto do Shopping Villar (propriedade do prefeito) como comitê eleitoral, mesmo com Gil alegando que lojas estavam desativadas; utilização de um ônibus para transporte de eleitores que supostamente não foi declarada; e ainda  um vale combustível assinado por um funcionário do prefeito e que foi abastecido no Posto de Combustível que também pertence ao grupo de Carlos Gil.  (Fonte- Blog do Berimbau/ TRE e Paraná Centro)


Nenhum comentário:

Postar um comentário