terça-feira, 10 de janeiro de 2017

PRODUÇÃO RECORDE

Produção de grãos na safra 2016/17 deve ser recorde de 215,27 milhões de toneladas, diz Conab
A produção brasileira de grãos na safra 2016/17, em fase de plantio, deve alcançar recorde de 215,27 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 15,3% (ou 28,6 milhões de toneladas), em comparação com o total de 186,7 milhões de t no período 2015/16. Os números fazem parte do quarto levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgados nesta terça-feira (10 de janeiro). Segundo a Conab, o resultado positivo se deve à produtividade média das culturas, em recuperação da influência negativa das condições climáticas da safra passada. A área total tem previsão de ampliação em 1,4% (ou 745,6 mil hectares) quando comparada à safra anterior, podendo atingir 59,08 milhões de hectares. A soja, principal cultura de verão, deve registrar crescimento de 8,7% na produção, podendo alcançar 103,78 milhões de toneladas, com aumento de 8,3 milhões de t frente à safra anterior. A área de cultivo com a oleaginosa deve crescer 1,6%. O milho primeira safra deverá alcançar 28,40 milhões de toneladas, com um aumento de 9,9% (mais 2,5 milhões de toneladas) em comparação com a safra 2015/16. A área de plantio com o cereal deve ser ampliada em 3,2%. O feijão primeira safra deve atingir 1,3 milhão de toneladas, resultado 25,7% superior à safra passada, enquanto para o arroz a previsão é de colheita de 11,64 milhões de toneladas (aumento de 9,7%). Já o algodão pluma deve crescer 10,1% e pode atingir 1,41 milhão de toneladas, apesar de uma redução de 5,2% na área cultivada. "Algodão e arroz tiveram redução de área, por causa da substituição pelo cultivo de soja, o que não ocorreu com as demais culturas de primeira safra", explicam os técnicos da Conab. Os técnicos da Conab vão detalhar números do quarto levantamento, em Brasília, dentro de instantes. Devem participar da entrevista a diretora de Política Agrícola e Informações da Conab, Cleide Laia, o superintendente de Informações do Agronegócio da companhia, Aroldo Neto, e o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário