quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

POLÊMICA - Prefeito de Mauá da Serra fala sobre dívida milionária

O Prefeito de Mauá da Serra disse que levantamentos confirmaram uma dívida de aproximadamente seis milhões de reais. Ele também negou boatos de fechamento de Escola 
VÍDEO - Ouça a entrevista no Link de Vídeo a esquerda   
O Prefeito de Mauá da Serra, eleito em outubro de 2016, Hermes Wicthoff, falou ao vivo com o Radialista Ronaldo Alves Senes, o "Berimbau", neste dia 08 de fevereiro, de 2017, direto de Curitiba, onde  estava cumprindo agenda no Tribunal de Contas. O principal tema deveria ser uma questionamento de moradores da "Serra do Cadeado", que enviaram uma nota para o radialista informando que a prefeitura estavam fechando uma escola existente no local, alegando reforma, mas justamente neste momento em que as aulas vão se iniciar, e que isto irá trazer transtornos, por causa da necessidade dos estudantes de terem que pegar um ônibus para frequentar uma outra escola no perímetro urbano. A nota ainda fala da suposta intenção do novo prefeito de fechar a instituição definitivamente. O entrevistado negou que tenha o objetivo de fechar a escola e fez esclarecimentos afirmando que herdou a prefeitura, como uma das piores, em se tratando de organização e dívidas. "Eu preciso hoje contratar cerca de 30 professores, porque em Mauá da Serra, foi oferecida 7 horas atividade para os educadores. Mas não posso fazer a contratação, porque a gestão anterior extrapolou o índice de contratação; e sem esses novos funcionários,  não tenho como colocar em funcionamento alguns escolas. Eu estou justamente no TCE tentando mudar este índice, mas talvez consigamos resolver isto somente nos próximos seis, por isso, o relocamento dos alunos e neste espaço de tempo, faríamos uma reforma na Escola", disse o prefeito. Na entrevista, que está no link de vídeo, ele explica exatamente o problemas encontrado. DÍVIDAS - O prefeito está preparando um relatório, para divulgação na imprensa, sobre as condições em que herdou o município, os seja, diz que com aproximadamente 6 milhões de dívidas e  que tem certeza que é a pior herança, se comparada com outras cidades do Vale do Ivaí. Entre os obrigações que ficaram, estaria: 700 mil de um pretório vencido há dois anos; 800 mil de férias vencidas de servidores; um milhão e 200 mil de dívidas do INSS, a qual já foi renegociada porque Mauá da Serra estava sem certidão negativa; e ainda uma dívida de 3 milhões de reais referente a uma ação judicial envolvendo a área de Reserva Particular do Patrimônio Natural – RPPN, conhecida como Monte Sinai. "Esta Reserva foi criada e atualmente gerá cerca de 150 mil em ICMS ecológico para o município. 50% precisa ser devolvido ao Monte Sinai, e o restante fica para a prefeitura. O que aconteceu foi que o prefeito anterior não repassou e a questão foi parar na Justiça. Nestes casos, a prefeitura deveria ter depositado em uma conta judicial até que a questão fosse resolvida, mas não  o fez. Recentemente a Juíza deu uma sentença nos obrigando a pagar e com multa no meu CPF; o pior é que o dinheiro foi gasto e não tem como pagar", disse Hermes.  Na entrevista ele elencou outros problemas como: 23 veículos da frota em condições precárias; pátio de máquinas sucateado; estradas rurais abandonadas e outros irregularidades. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário